IMPOSTÓMETRO

quinta-feira, 30 de junho de 2016

SENADORA aprova Projeto de Lei para reajuste dos MILITARES. Relatora diz que valores são insuficientes.

A senadora Ana Amélia diz em seu relatório sobre o Projeto de Lei da Câmara (PLC) nº 37, de 2016  que versa sobre reajuste proposto para os MILITARES das Forças Armadas:
“Aprovada na Câmara dos Deputados, a matéria vem à revisão do Senado Federal, onde não recebeu emendas até o momento e será submetida ao exame desta Comissão e da de Assuntos Econômicos.

Trata-se, aqui, de buscar, no limite das condições do Erário, corrigir a remuneração dos militares das Forças Armadas. Certamente, não se pode negar que os valores propostos são insuficientes e, provavelmente, não chegarão, sequer, a manter o valor real do estipêndio dos membros das Forças Armadas. Entretanto, também se deve reconhecer que não se pode avançar além, nesse momento em que as contas nacionais apresentam situação crítica.

Do exposto, votamos pela constitucionalidade, juridicidade e regimentalidade do PLC nº 37, de 2016, e, no mérito, pela sua aprovação.”

O PLC nº 37, de 2016, propõe novas tabelas de soldo para os militares das Forças Armadas, a entrarem em vigor, respectivamente, a partir de 1º de agosto de 2016 e de 1º de janeiro de 2017, de 2018 e de 2019.

Fonte: Revista Sociedade Militar

Governo analisa proposta de centrais sindicais para a Previdência

"Não topamos discutir idade mínima para quem está no  mercado  de trabalho", diz Paulo Pereira da Silva,  presidente da  Força  SindicalArquivo/Agência Brasil
Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

O grupo de trabalho criado pelo governo federal para, com a ajuda de centrais sindicais, discutir políticas a serem aplicadas na Previdência Social já está reunido no Palácio do Planalto para avaliar a proposta e sugestões apresentadas pelas entidades sindicais.

Ao chegar ao Palácio do Planalto para participar da reunião, o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), reiterou alguns dos pontos defendidos pelas centrais, entre os quais o que diz que, em hipótese nenhuma, será aceita qualquer alteração da idade mínima para a aposentadoria.
“Nós não topamos discutir idade mínima para quem está no mercado de trabalho. Em 2026 vamos ter uma previdência de 90 anos para mulheres e 100 anos para homens, combinando idade com tempo de contribuição. Isso já vai elevar muito a idade mínima para se aposentar. Aliás, já se elevou o patamar. E isso já é alguma coisa”, disse o líder sindical.

Outra sugestão apresentada pelas centrais é a de criação de uma nova previdência, que seria única para todos os brasileiros nascidos após 2001 e que, portanto, ainda estão fora do mercado de trabalho. “Estamos sugerindo que, depois de cumprir todas questões para corrigir o caixa do governo, discutamos uma previdência nova para todos os brasileiros. Já ouvi dizerem que os militares teriam de ficar de fora, mas isso não pode acontecer. Não pode ficar ninguém de fora. Tem de ser previdência única para todo mundo. Para todos os brasileiros que nasceram depois de 2001: pessoas que não estão ainda no mercado de trabalho. Para quem não há ainda direito [trabalhista], podemos discutir uma previdência nova”, disse o deputado, também conhecido como Paulinho da Força.

Nas sugestões apresentadas – e que estão sob a análise do governo – as centrais propõem também acabar com a idéia de fator previdenciário em 2026 e acrescentar, a partir dali, de tempos em tempos, a expectativa de vida. “Como as mulheres estão vivendo mais que os homens, isso no futuro pode ser igualado. São ideias que se tem agora, mas não dá para corrigir sem que o governo corrija a casa e acabe com a filantropia, que é uma picaretagem de R$ 10 bilhões [a menos para os cofres públicos], e sem que acabe com as desonerações que chegaram a R$ 47 bilhões no ano passado. Ou seja, o governo está dando esmola com o chapéu dos aposentados”, acrescentou.

Outra sugestão apresentadas pelas centrais é a da venda de imóveis da própria Previdência Social. “É pouco, mas dá R$ 1,5 bilhão em recursos”, disse Paulinho. “E tem de cobrar do agronegócio. Tem empresário rural que ficou bilionário em 20 anos nas costas da Previdência”, disse. “E tem de fazer um Refis [refinanciamento] para cobrar as dívidas. As empresas devem R$ 370 bilhões à Previdência. Esse pessoal não vai pagar se não tiver Refis”, acrescentou o sindicalista.

Na primeira reunião do grupo, ficou acordado que, tendo em mãos essas propostas, o governo terá prazo até 3 de julho para avaliar e apresentar seu posicionamento. Até o momento o Planalto não informou quais são as entidades que estão participando da reunião.

Entre as entidades ligadas a trabalhadores que participaram da primeira reunião estavam a Força Sindical, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSP), a União Geral dos Trabalhadores (UGT) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Participam da reunião desta terça-feira os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, Ronaldo Nogueira, do Trabalho e Emprego, e Dyogo de Oliveira, interino do Planejamento, Orçamento e Gestão, além do secretário da Previdência, Marcelo Caetano, e dos deputados federais Paulo Pereira da Silva e Darcísio Perondi (PMDB-RS) e de representantes do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Sindicato dos Aposentados, da Central dos Sindicatos Brasileiros, União Geral dos Trabalhadores, Força Sindical, Nova Central Sindical de Trabalhadores, Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).


Edição: Nádia Franco


Na reunião, a maioria só Sindicalista, e ninguém representando as Forças Armadas pra dar uma aula nesse Dep Paulinho do Solidariedade a respeito de previdência dos Militares.

terça-feira, 28 de junho de 2016

R$ 150 milhões em emendas para o DF. Será que agora vai?


A bancada da capital no Congresso Nacional tem esse valor para destinar ao DF. Dinheiro tem, mas não há planejamento e nem gestão. Os recursos podem mais uma vez ir para o ralo
Amanhã os parlamentares do Distrito Federal se reunirão para definir onde o dinheiro será aplicado e terão até o dia 29 de junho para apresentar as emendas na Comissão que analisa a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Segundo o deputado Izalci (PSDB/DF), coordenador da bancada do DF no Congresso Nacional, nem com o advento das emendas impositivas e obrigatórias que passaram a vigorar em 2014, o Governo do Distrito Federal tem conseguido usar o dinheiro disponível para obras e programas estruturantes do DF.
“A falta de planejamento e, sobretudo de gestão faz com que o Distrito Federal perca a oportunidade de fazer projetos e obras importantes para a população”, avalia. “São projetos prioritários que deixaram de ser executados simplesmente por incompetência e descaso do GDF. Não faltou dinheiro, faltou vontade”, apontou Izalci.

BR-080 e Hospital do Câncer
As duas maiores emendas impositivas e obrigatórias definidas pela bancada do DF no ano passado ainda não foram executadas. Não por falta de dinheiro, mas, essencialmente por falta de vontade política. O Hospital do Câncer já está com projeto pronto e recursos liberados. Tudo indica que será executado.
Quanto à BR-080, a população ainda reivindica e luta para que seja feito o trecho considerado o mais perigoso, entre Brazlândia e Taguatinga - conhecido como “a estrada da morte”-, em razão dos inúmeros acidentes fatais na rodovia. Para o deputado Izalci, as emendas, cuja execução depende apenas da vontade e da diligência do GDF, precisam ser executadas. “No governo Agnelo, nada foi feito, a não ser o Estádio milionário que está aí às moscas e que, diga-se de passagem, não foi definido pela bancada e nem tampouco pela população. No governo Rollemberg, esperamos que seja diferente”, disparou.

A capital e seus problemas
Apesar de ser o único estado a contar com recursos exclusivos para pagar seus servidores da Educação, Saúde e Segurança Pública, parece que o GDF erra nas contas e passa por momentos para lá de difíceis.

Saúde – 900 médicos residentes estão em greve por não receberem seus proventos e auxílios, de acordo com o estabelecido em lei. Segundo a Associação, o GDF não cumpre a Portaria nº 74, de 29 de abril de 2015, do Secretário de Saúde do Distrito Federal, a qual “Regulamenta os Programas de Residência em Área Profissional da Saúde: Modalidade Multifuncional e Uniprofissional da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) e da Secretária de Estado de Saúde do Distrito Federal”.

Educação – O Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF), instituído pelo Decreto nº 28.513/2007, no qual as escolas deveriam receber recursos para as necessidades de cada unidade não tem sido cumprido. “As escolas contam apenas com a vontade e o amor de seus diretores e professores. As despesas e a manutenção de muitas escolas só existem porque os servidores estão empenhados em mantê-las, gastando do próprio bolso com limpeza e manutenção. Os recursos para esses fins não estão sendo repassados”, denuncia Izalci.

Segurança Pública - O reajuste salarial das forças de Segurança Pública não foi ainda definido. O diálogo entre as partes é tudo que os servidores e a população desejam.

Saiba mais:
LDO –A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) tem como a principal finalidade orientar a elaboração dos orçamentos fiscais e da seguridade social e de investimento do Poder Público, incluindo os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e as empresas públicas e autarquias. Compreende as metas e prioridades da administração pública, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente e orienta a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Fonte:https://www.facebook.com/notes/izalci/

terça-feira, 21 de junho de 2016

Jesus aparece a refugiados que cruzavam mar e acalma tempestade

Refugiados sobreviveram à perigosa e se converteram

O testemunho de Erick Schenkel, diretor-executivo do Projeto Filme Jesus tem surpreendido muitas pessoas na Europa. Ele conta que sua missão está trabalhando no discipulado de um grupo de refugiados que afirmam ter visto Jesus no mar Egeu.
Eles estavam em um barco como as dezenas que atravessam do norte da África para a Grécia todos os meses. O vento forte e as ondas altas ameaçavam virar a embarcação cheia de imigrantes fugindo do Médio Oriente. Todos sabiam que muitos outros nas mesmas condições morreram na travessia.
Os refugiados estavam com medo e a beira do desespero. “Mas as pessoas do barco começaram a clamar a Deus em voz alta. De repente, uma “figura divina brilhante” apareceu a eles”, relata Schenkel. “O barco inteiro sabia que era Jesus”, insiste, acrescentando que eles o ouviram dar um comando e as águas se acalmaram imediatamente, salvando suas vidas.
“A partir desse ponto, o mar ficou calmo e tranquilo, e eles chegaram em segurança em terra”, ressalta Schenkel. Semanas depois, os refugiados foram atendidos por cristãos que, ouvindo o relato, começaram a fazer grupos de discipulado e de estudo da Bíblia. O responsável pelas aulas é um ex-jihadista, que também teve uma forte experiência de conversão.
Para o líder do Projeto Filme Jesus, o relato surpreendente ecoa o episódio relato nos Evangelhos quando o Messias acalmou uma tempestade no Mar da Galileia (Mateus 4:37). Embora não tenha dado mais detalhes sobre quem eram esses refugiados, insiste que havia um propósito pois todos que estavam ali queriam se tornar seguidores daquele que tem todo o poder. Com informações de Christian Post
Fonte:> noticias.gospelprime.com.br

RJ pede ajuda das Forças Armadas por 3 meses, inclusive na Olimpíada

Informação foi publicada pelo 'O Globo' e confirmada pelo Governo.
Contingente vai além dos 85 mil que ficarão no Estado nos Jogos.

Do G1 Rio
O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, pediu às Forças Armadas reforço no contingente para a Olimpíada, mas também para antes e depois dos Jogos. O número vai além dos 85 mil agentes que já cuidariam da segurança do evento.
A informação foi publicada nesta quinta-feira (16) na coluna de Ancelmo Gois, do "O Globo", e confirmada pelo Governo.
O auxílio foi requisitado através de um ofício enviado por Dornelles ao presidente interino, Michel Temer. O emprego extra das Forças Armadas iria de 24 de julho a 19 de setembro, após até mesmo a Paralimpíada.
Segundo a nota, o contingente extra ficaria em locais como a Avenida Brasil, o aeroporto do Galeão e as linhas Vermelha e Amarela.
No documento, Dornelles cita o elevado número de visitantes na cidade e diz que a PM não dispõe de recursos humanos e logísticos para cumprir as demandas.
O Governo informou também que a Força Nacional de Segurança Pública não apoiará a PM no policiamento ostensivo da cidade. O serviço será relacionado, "de maneira maciça", à segurança interna das instalações olímpicas.
Homem é morto em confronto com as Forças Armadas na Maré/GNews (Foto: Reprodução GloboNews)Forças Armadas reforçará contingente durante Olimpíada (Foto: Reprodução GloboNews)

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Ato profético reúne lideranças evangélicas em Brasília

Evento pretende celebrar uma mudança espiritual do país

Ato profético reúne lideranças evangélicas em BrasíliaAto profético reúne lideranças evangélicas em Brasília
Cerca de 100 líderes de diferentes denominações, artistas e autoridades políticas subiram ao palco montado na Esplanada dos Ministérios em Brasília nesta quarta (1). Com duração de mais de duas horas, o “ato profético” convocado pelo ministério Vitória em Cristo foi mais que um culto público a Deus.
Sob a liderança de Silas Malafaia, vários pastores conhecidos se revezaram em momentos de intercessão pelo país. Cada um à sua maneira, alguns mais comedidos, outros mais enfáticos, eles oraram e convidaram a Igreja brasileira a continuar clamando a Deus por uma mudança drástica nos rumos da nação.
Nani Azevedo, Fernandinho, Cassiane, Fernanda Brum, entre outros, conduziram os presentes em momento de adoração. “Compreendo que esse ato profético traz a Palavra de Deus. A palavra profética para a nação é arrependimento, transformação e redenção”, afirmou Brum ao Gospel Prime. Já Nani entende que a mudança não é apenas política, sendo, sobretudo, espiritual. “É Deus descortinando tudo e usando os políticos”, enfatizou o cantor.
Não houve menção de nomes de políticos, tampouco de partidos. Ao contrário do que se especulou, não era um comício fora de época. Os deputados e senadores presentes ao evento não foram mencionados por nome nem apresentados publicamente.
“O ato é em favor do Brasil, não é em favor de governos”, asseverou Malafaia diante da multidão. Assumindo um tom profético em sua fala, declarou: “Esse espírito de mentira, vai ser desmascarado! Nós vamos declarar que esse país não vai falir. Deus vai trazer prosperidade à nossa nação”, insistiu. Um “amém” quase em uníssono foi ouvido no local.
Entre as milhares de pessoas que estavam na plateia, podiam ser vistas faixas e cartazes com dizeres que remetiam aos valores cristãos, muitas vezes atacados na arena política. “Em favor da família tradicional”, “Não à erotização das crianças” e “Fora ideologia de gênero” eram algumas delas. Da parte do público, ficou evidente que há uma grande expectativa por uma mudança não apenas no campo econômico, mas também moral.
Líderes Evangélicos no Ato Profético
Lideranças presentas no evento (foto de Gabriela Carvalho)
Na avaliação da maioria dos líderes presentes, o sucesso do ato não pode ser dimensionado pelo número de pessoas que compareceram nem pela expectativa de uma mudança milagrosa em um curto período de tempo. Ouvidos pelo Gospel Prime, os pastores afirmaram que se trata de um exercício de fé, um evento para “marcar posição” no mundo espiritual e diante dos homens.
“O reino de Deus é para ser instalado na terra. Deve influenciar tudo: diplomacia, política, ciências, artes, cultura… A igreja muitas vezes se omite disso, ao tratar o ser humano apenas como ser espiritual. Vamos declarar aqui nosso país não vai sucumbir por corrupção nem caos social. Temos a autoridade espiritual para profetizar sobre a nação”, afirmou Silas Malafaia ao Gospel Prime.
Fonte: noticias.gospelprime.com.br

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Depois de vacinarem milhões de pessoas,descobriram que a “VACINA DA GRIPE É UM VENENO MORTAL”

Recentemente, tem circulado pela internet uma mensagem que alerta para não tomar a vacina H1N1 pelo simples risco da síndrome GBS. Aparentemente, a vacina da gripe é um veneno mortal.
Um dos possíveis efeitos secundários da vacina H1N1 é a síndrome de Guillian-Barre, que já matou e incapacitou centenas de americanos na campanha de vacinação H1N1 em 1979, tendo sido confirmados 500 casos com esta síndrome. Então, a vacina foi retirada do mercado 10 dias depois, após terem sido vacinadas 48 milhões de pessoas.
Esta síndrome ataca diretamente o sistema nervoso e causa problemas de respiração, paralisia e pode até levar à morte. Em muitas vacinas produzidas no final dos anos 80 e início dos anos 90, foram utilizados produtos bovinos obtidos em países onde a encefalite bovina espongiforme (doença da vaca louca) constituía um risco significativo. Nos EUA, a FDA pediu insistentemente que as indústrias farmacêuticas não utilizassem produtos de gado criado em países onde a vaca louca fosse uma realidade.
Vários médicos, farmacêuticas e meios de comunicação continuam a mentir sobre o mercúrio em vacinas. Os mídia deixaram a ciência totalmente de lado na sua propaganda de incentivo à vacina contra a gripe, tendo deixado de mencionar de todo qualquer um dos riscos associados à mesma. Segundo quase todas as histórias publicadas, as vacinas contra a gripe oferecem praticamente proteção certa contra a gripe enquanto que o risco nunca é mencionado.
Na própria bula é revelado que a vacina nunca foi submetida a ensaios clínicos científicos: “Não houve estudos controlados que demonstrem adequadamente uma diminuição na doença influenza após a vacinação com Flulaval”, é o que se pode ler no folheto informativo num texto minúsculo que ninguém lê.
Lá também consta que “A segurança e a eficácia de Flulaval não foram estabelecidas em mulheres grávidas, lactantes ou crianças”. Mesmo assim, as farmacêuticas e várias outras entidades incentivam à vacinação contra a gripe por parte de mulheres grávidas. A mesma entidade que admite que a vacina nunca foi testada, admite também abertamente que esta contém produtos químicos neurotóxicos!
Se tomas vacinas contra a gripe, é provável que estejas a ser envenenado aos poucos, pois sabe-se que estas contêm produtos químicos neurotóxicos e metais pesados em concentrações alarmantes! Para além disso, não existe uma forma segura de mercúrio, tal como não existe forma segura de heroína. Todas as formas de mercúrio são consideradas altamente tóxicas quando injetadas no corpo! compartilhe máximo que puder!
(Via agencia de noticia)
Fonte: saudevidaefamilia.com