sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

SITUAÇÃO DAS PARADAS EM BRASÍLIA-DF


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Sozinho não da pra fazer nada, mas o exemplo de ser leal ao povo isto ninguém tira dele


Joaquim Barbosa, mesmo assim, parabéns pela atitude a você e quem estava com você ao seu lado naquele momento, e de poder alertar o povo... Traduzindo suas palavras: "A Lei é só para os pobres".

Em debate, MILITARES e PARENTES manifestam insatisfação com salários e benefícios.

Gorette Brandão
Durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), nesta quinta-feira (27), militares da reserva e familiares de integrantes das Forças Armadas ainda na ativa falaram das insatisfações com os baixos salários e os benefícios da carreira.
 
Os militares cobram, entre outros pontos, o pagamento de um reajuste salarial de 28% ainda pendente em relação a diversos subgrupos, referente ao antigo sistema de reajuste na data-base do período inflacionário. Seria uma dívida salarial já reconhecida pela Justiça, da ordem de R$ 5 bilhões. Houve ainda apelos pela correção de discrepâncias de tratamento entre servidores situados no mesmo grau hierárquico.

O senador Paulo Paim (PT-RS), que pediu a audiência e dirigiu os trabalhos, ao fim se comprometeu em solicitar audiência com o ministro da Defesa, Celso Amorim, para tratar das reivindicações. Deverá ainda ser solicitada a presença dos comandantes das três Forças (o general Enzo Peri, do Exército; almirante Julio Soares de Moura Neto, da Marinha; e o tenente-brigadeiro do ar Juniti Saito, da Aeronáutica) e de uma comissão de oito dirigentes de entidades dos militares da reserva e das famílias dos ativos.

Logo depois da reunião, em entrevista, Paim informou que a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) também se dispõem a acompanhar a audiência. Sobre a audiência pública, Paim disse que os depoimentos mostraram a existência de uma situação grave e um clima de insatisfação generalizada.

- É e preciso que se estabeleça um diálogo com eles – disse.

Para o senador, ficou evidenciada a necessidade de um plano de reestruturação das carreiras militares, para que todos possam “viver com dignidade”. Os depoentes citaram a situação de oficiais com longos anos de serviço com ganho mensal que vai pouco além de R$ 3.500. No caso de um recruta, o soldo – o nome para os ganhos na área militar - fica abaixo do salário mínimo.

- Quando mostraram contracheques, vimos que os salários deles não dão para pagar o aluguel de uma simples morada na periferia de Brasília, não no Plano Piloto – disse Paim.

Causa Qesa

Ficou também decidido que ainda na próxima semana deverá ser encaminhado aos comandantes das três Forçase ao ministro da Defesa um documento com a síntese das reivindicações. A lista inclui a chamada Causa Qesa (Quadro Especial de Sargentos da Aeronáutica), reivindicação para que seja estendido a esse agrupamento o mesmo nível de ascensão funcional assegurado aos cabos femininos que, em 1984, foram promovidas à graduação de terceiro-sargento, com direito a chegar ao nível de suboficial.

O presidente da Comissão Nacional do Quesa, Eduardo Souza Silva, afirmou que o quadro feminino conseguiu o acesso direto, de cabo a terceiro-sargento, por meio de uma mera portaria do então ministro da Aeronáutica, Délio Jardim de Matos.

- Não existe nenhuma justificativa para que os militares do sexo masculino não sejam contemplados com o direito à promoção. A portaria é mais do que discriminatória, é inconstitucional – afirmou.

Outra distorção teria sido provocada pela Lei 12.158, de 2009, que abriu caminho para que os taifeiros da Aeronáutica – os taifeiros trabalham na preparação e distribuição de alimentos - ganhassem o direito de serem promovidos até a graduação de suboficial na reserva remunerada. No entanto, mesmo ocupando o mesmo patamar hierárquico, os cabos das três Forças não contam com essa possibilidade de avanço. No máximo, chegam a terceiro-sargento, levando 20 anos para alcançar essa posição.

Menções a Dilma

O presidente da Associação dos Militares da Reserva, Reformados e Pensionistas das Forças Armadas (Amarp), Genivaldo da Silva, salientou que emendas a uma medida provisória que tramita agora no Senado atendem parte das reivindicações dos militares, inclusive a correção do salário-família e do auxílio-moradia. Ele apelou para que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), coloque a matéria em pauta e para que a presidente Dilma Rousseff conserve as mudanças. Por sinal, Dilma foi mencionada em diversos momentos da audiência, como alvo de pedidos de atenção e mesmo críticas por suposta indiferença em relação aos militares.

- Falta consideração com a família militar, com aqueles que defendem a soberania do Brasil – disse Genivaldo.

Para Ivone Luzardo, que preside o Partido Militar Brasileiro, o argumento de que não há recursos para atender os militares não é aceitável. Ela lembrou que para outros tipos de gastos o governo não tem problema para arranjar dinheiro, inclusive, como lembrou, para construir um porto em Cuba ou para perdoar dívidas de diversos países. Dito isso, cobrou o pagamento integral e retroativo do reajuste de 28% ainda pendente.

Esposa e filha de militar, a presidente da Associação da Mulher Amarp, Miriam Cristina Dienstmann Stein, observou que os militares da ativa não podem fazer greve nem têm o direito de formar sindicatos. Porém, destacou que todos votam e precisam “ter voz, não podendo ficar excluídos da sociedade”.

Ela ressaltou ainda a relevância da missão militar na defesa do país, no suporte à população em catástrofes e até mesmo na condução de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Apesar disso, observou que as Forças Armadas não conseguem orçamento para seus investimentos e a garantia de ganhos justos para seus quadros.

- Por isso, a evasão é muito grande. Bem preparado, o militar vai fazer concurso e ser aprovado, abrindo mão do sonho de ser militar em prol de um salário mais digno para manter sua família – disse.

Omissão

Kelma Costa, que preside a União Nacional de Familiares das Forças Armadas e Auxiliares (Unifax), pediu a todos para que mantenham o lema “fé na missão”, mesmo estando “esgotados”. Com relação ao reajuste de 28,86%, ele observou que a questão se arrasta por 12 anos e nada se resolve. Disse que outras reivindicações já podiam estar sendo negociadas, caso a pauta não estivesse obstruída com antigas questões.

- Infelizmente, a tropa está entregue a um comando omisso, que não se preocupa – afirmou.

Depois de apresentar um contracheque de um terceiro-sargento, no valor total de R$ 1.461,00, Kelma indagou como é possível sobreviver com soldo tão reduzido. Queixou-se ainda da ausência de ajuda de custo para moradia ou de acesso a um programa “Meu barraco, minha vida”. Em contraste, ela lembrou que os soldados da Policia Militar de Brasília vão ganhar R$ 7 mil mensais, como resultado da recente mobilização.

Kelma aproveitou ainda para mandar um “recado” a presidente Dilma, a quem lembrou que a “família militar” é composta de 5,2 milhões de membros. “Não somos um grupinho que surgiu em qualquer lugar, não”, reforçou. A seguir, convocou as mulheres das famílias de militares para que se organizem e lutem.

- Seus maridos não podem, pois está na Constituição, mas vocês podem. A mudança começa nos seus lares

Médicos cubanos

Acompanhou a audiência o deputado federal Izalcir Luicas (PSDB-DF), oficial da reserva, que disse que os militares estão de fato "sem prestigio” no governo. Segundo ele, há “discriminação forte”, bastando ver os cortes no orçamento e a falta de investimentos estratégicos. Observou ainda que o governo paga R$ 10 mil a um médico cubano, “sem nenhum preparo”, um salário acima do previsto para profissional da área em concurso aberto para o Hospital das Forças Armadas.

Logo em seguida, Paim apelou a todos para que evitassem uma discussão partidária, observando que isso não ajudaria em nada. Disse ainda que os problemas nas Forças Armadas são antigos, atravessando diversos governo, de diferentes partidos.

- Queremos uma política de Estado para as Forças Armadas, e não desse e daquele governo - disse.

O comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, participava no mesmo momento de audiência na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), para debater a aquisição dos novos caças para equipar a Força. Ele, que havia sido convidado para o debate, junto aos demais comandantes militares, justificou sua ausência por meio de um recado à CDH e se colocou à disposição para receber a comissão que está sendo formada para tentar abrir negociações.

Paim concedeu a palavra a diversos militares da reserva presentes, entre eles o sargento Antonio da Silva Neto, que se referiu ao quadro de penúria enfrentado pelos militares e lamentou que chegassem ao ponto de serem obrigados a tratar publicamente desses fatos, o que chamou de "expor as vísceras". Para ele, essa é uma situação "completamente na contramão da coisa certa".
 
Fonte: Agência Senado

A Era dos Juízes incorruptíveis está em extinção

INFORMEX Nº 006 – 27 DE FEVEREIRO DE 2014 - Promoção a 2º Sgt QE do Exército



INFORMEX
*A PALAVRA OFICIAL DO EXÉRCITO*


INFORMEX Nº 006 – 27 DE FEVEREIRO DE 2014


DISTRIBUIÇÃO: TODAS AS ORGANIZAÇÕES MILITARES

DIFUSÃO: TODOS OS MILITARES

ASSUNTO: PROMOÇÃO DO 3° SGT QE A 2° SGT QE


Incumbiu-me o Sr Comandante do Exército de transmitir à Força que serão efetuadas as promoções a seguir, conforme discriminado:

PORTARIA Nº 027-DA PROM/DGP, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2014

Promoção de Graduados

O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL, no uso da competência que lhe confere o art. 22 do Regulamento de Promoções de Graduados (R-196), aprovado pelo Decreto nº 4.853, de 6 de outubro de 2003, resolve:

PROMOVER, por antiguidade, à graduação imediata, a contar de 1º de dezembro de 2013, os graduados a seguir relacionados:

À GRADUAÇÃO DE 2° SARGENTO DO QUADRO ESPECIAL OS 3º SARGENTOS DO QUADRO ESPECIAL
...........................................

Gen Div CARLOS ALBERTO NEIVA BARCELLOS
Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército

Fonte: http://www.eb.mil.br/web/interno/informex

TOTAL: 154 promovidos. 3ª Etapa terminada.

MESMO COM OS BAIXOS SALÁRIOS, SOMOS LEAIS AO NOSSO PAÍS

Foto: Subtenente Andriely - CCOMSEX

Policiais militares viram ‘robocops’ para conter violência em protestos

Agentes vão usar capacetes e coletes mais resistentes, além de máscaras antigás, em tumultos.


RIO — Se alguém se deparar com um “Robocop” por aí nos próximos dias, não se trata de um folião fantasiado para o carnaval, mas de um policial do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE). A parafernália que PMs vão usar para se proteger em manifestações pesa dez quilos. O Equipamento de Proteção Individual (EPI) foi comprado para a Copa do Mundo, mas já está pronto para ser usado em protestos em que houver violência, como a praticada por black blocs. Os policiais terão um capacete que resiste à penetração de objetos pontiagudos, um colete que protege as costas, o tórax e os ombros, além de caneleiras que envolvem ainda os joelhos e os pés. Tudo feito de um material plástico super-resistente, mas não à prova de balas.

Segundo o comandante do BPGE, tenente-coronel Wagner Villares, o equipamento absorve fortes impactos como, por exemplo, de rojões e pedras. Há também protetores de mãos resistentes a chamas de até 427 graus. No cinto, é possível guardar duas pistolas: a .40 e a de choque (Taser). Mas, nos protestos, só oficiais e sargentos podem portar armas letais. O batalhão, onde estão lotados 600 policiais, conta com 200 desses equipamentos. Assim como as fardas, eles terão letras e números para identificar os policiais. Os agentes do Batalhão de Choque também vão usar os protetores.

Segundo o tenente-coronel Villares, além do material de proteção, os treinamentos estão sendo intensificados. O batalhão é formado por homens vindos de outras unidades da PM, além de policiais recém-formados.

— No momento, todos estão fazendo cursos de aperfeiçoamento e treinamento. Vamos começar um curso específico para aprimorar técnicas de abordagem em situações de tumulto — detalhou Villares.


Técnicas de artes marciais

A exemplo da PM de São Paulo, a polícia do Rio também está aumentando a carga horária na prática de artes marciais.

— Temos instrutores altamente qualificados. Professores de artes marciais estão dando instruções para o uso mínimo da força. A ideia é imobilizar e conter os mais exaltados, usando a energia necessária, porém sem violência. Fala-se muito em uso gradual de proporção da força, mas temos que ir além disso. Observamos que, se nós ficarmos trocando bombas com os manifestantes, isso só alimenta um confronto — disse o comandante.

Para Villares, o equipamento especial fará com que seus homens se aproximem dos manifestantes mais exaltados, além de reduzir o número de lesões nos policiais. O único inconveniente é que, durante um protesto, o policial anda, em média, de dez a 15 quilômetros. Com mais equipamentos, a mobilidade do PM fica um pouco prejudicada. Apesar de máscaras antigás terem sido adquiridas, a corporação pretende não usá-las com frequência:

— Do treinamento do policial também consta o aumento da tolerância ao gás. Nossa ideia é chegar à conciliação, mas as revistas vão continuar, pois elas são importantes. Não vamos permitir que ataquem o patrimônio público e privado, nem que queimem ônibus ou atinjam policiais e pessoas de bem.
Fonte: O GLOBO

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014


IMPOSTO DE RENDA - DICAS RECEITA FEDERAL APERTA O CERCO..


Sigam algumas orientações a fim de evitar futuros problemas

ATENÇÃO
Jamais faça DOAÇÕES!
Se tiver de doar algum dinheiro a um filho, por exemplo, declare apenas como EMPRÉSTIMO, caso contrário será taxado em 4% em imposto estadual!!!


1. O QUE SERÁ CRUZADO:
Todos devem começar a acertar a sua situação com o Leão, pois neste ano o Fisco começa a cruzar mais informações, e no máximo em dois anos estará cruzando praticamente tudo. As informações que envolvam CPF ou CNPJ serão cruzadas on-line com:
CARTÓRIOS: Checar os bens imóveis - terrenos, casas, apartamentos, sítios, construções;
DETRAN: Registro de propriedade de veículos, motos, barcos, Jet-skis, etc.;
BANCOS: cartões de crédito, débito, aplicações, movimentações, financiamentos;
EMPRESAS EM GERAL: Além das operações já rastreadas (Folha de pagamentos, FGTS, INSS, IRRF, etc.), passam a ser cruzadas as operações de compra e venda de mercadorias e serviços em geral, incluídos os básicos (luz, água, telefone, saúde), bem como os financiamentos em geral.

Tudo através da Nota Fiscal Eletrônica.

Tudo isso nos âmbitos Municipal, Estadual e Federal, amarrando pessoa física e pessoa jurídica através destes cruzamentos e podendo, ainda, fiscalizar os últimos 5 (cinco) anos.

2. MODERNIDADE DO SISTEMA:
Este sistema é um dos mais modernos e eficientes já construídos no mundo, e logo estará operando por inteiro. Só para se ter uma idéia, as operações relacionadas com cartão de crédito e débito foram cruzadas em um pequeno grupo de empresas varejistas no fim do ano passado, e a grande maioria deles sofreram autuações enormes, pois as informações fornecidas pelas operadoras de cartões ao fisco (que são obrigados a entregar a movimentação), não coincidiram com as declaradas pelos lojistas.

Este cruzamento das informações deve, em breve, se estender a um número muito maior de contribuintes, pois o resultado foi "muito lucrativo" para o governo.

3. FOCO NAS EMPRESAS DO SIMPLES:
Sua empresa é optante do Simples Nacional? Veja esta curiosidade inquietante:

TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO REAL: Maioria das empresas de grande porte. Representam apenas 6% das empresas do Brasil e são responsáveis por 85% de toda arrecadação nacional;

TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO PRESUMIDO: Maioria das empresas de pequeno e médio porte. Representa 24% das empresas do Brasil e são responsáveis por 9% de toda arrecadação nacional;

TRIBUTAÇÃO PELO SIMPLES NACIONAL: 70% das empresas do Brasil e respondem por apenas 6% de toda arrecadação nacional. OU SEJA, é nas empresas do SIMPLES que o FISCO vai focar seus esforços, pois é nela onde se concentra a maior parte da informalidade, leia-se, sonegação!

4. INFORMALIDADE DEVERÁ DIMINUIR:
Acredita-se que muito em breve, a prática da informalidade tende a diminuir muito! A recomendação é de que as empresas devem se esforçar cada vez mais no sentido de ir acertando os detalhes que faltam para minimizar problemas com o FISCO.

5. SUPERCOMPUTADOR T-REX E SISTEMA HARPIA:
A Receita Federal passou a contar com o T-Rex, um supercomputador que leva o nome do devastador Tiranossauro Rex, e o software Harpia, ave de rapina mais poderosa do país, que teria até a capacidade de aprender com o comportamento dos contribuintes para detectar irregularidades. O programa vai integrar as secretarias estaduais da Fazenda, instituições financeiras, administradoras de cartões de crédito e os cartórios.

6. DIMOF:
Com fundamento na Lei Complementar nº 105/2001 e em outros atos normativos, o órgão arrecadador - fiscalizador apressou-se em publicar a Instrução Normativa RFB nº 811/2008, criando a  Declaração de Informações sobre Movimentação Financeira (DI MOF), pela qual as instituições financeiras têm de informar a movimentação de pessoas físicas, se a mesma superar a ínfima quantia de R$ 5.000,00 no semestre, e das pessoas jurídicas, se a movimentação superar a bagatela de R$ 10.000,00 no semestre. A primeira DIMOF foi apresentada em 15 de dezembro de 2008.

7. DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA JÁ PRONTA PELO FISCO PREVIAMENTE:
O acompanhamento e controle da vida fiscal dos indivíduos e das empresas ficará tão aperfeiçoado que a Receita Federal passará a oferecer a declaração de Imposto de renda já pronta, para validação do contribuinte, o que poderá ocorrer já daqui a dois anos.

8. PRIMEIRA ETAPA JÁ INICIADA EM 2008, 37.000 CONTRIBUINTES:
Apenas para a primeira etapa da chamada Estratégia Nacional de Atuação da Fiscalização da Receita Federal para o ano de 2008 foi estabelecida a meta de fiscalização de 37 mil contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, selecionados com base em análise da CPMF, segundo publicado em órgãos da mídia de grande circulação.

9. CRIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES PATRIMONIAIS DO CONTRIBUINTE:
O projeto prevê, também, a criação de um sistema nacional de informações patrimoniais dos contribuintes, que poderia ser gerenciado pela Receita Federal e integrado ao Banco Central, Detran, e outros órgãos.

10. PENHORA ON LINE:
Para completar, já foi aprovado um instrumento de penhora on line das contas correntes. Por força do artigo 655-A, incorporado ao CPC pela Lei nº 11.382/2006, poderá requerer ao juiz a decretação instantânea, por meio eletrônico, da indisponibilidade de dinheiro ou Bens do contribuinte submetido a processo de execução fiscal.

11. REVISÃO DE PROCEDIMENTOS E CONTROLES CONTÁBEIS:
Tendo em vista esse arsenal, que vem sendo continuamente reforçado para aumentar o poder dos órgãos fazendários, recomenda-se que o contribuinte promova revisão dos procedimentos e controles contábeis e fiscais praticados nos últimos cinco anos.

12. A RECEITA ESTÁ TRABALHANDO MESMO:
Hoje a Receita Federal tem diversos meios (controles) para acompanhar a movimentação financeira das pessoas. Além da DIMOF, temos a DIRPF, DIRPJ, DACON. DCTF, DITR, DIPI, DIRF, RAIS, DIMOB, etc. etc.. Ou seja, são varias fontes de informações.

13. TESTES DO SISTEMA:
Esse sistema HARPIA, já estava em teste há 2 dois anos, e agora está trabalhando pra valer. Com a entrada em vigor da nota fiscal eletrônica e do SPED, ai é que a situação vai piorar, ou melhor, melhorar a arrecadação.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

QUEM VOTA NESSAS PESSOAS, NÃO PODE RECLAMAR DEPOIS.

'Deputado do castelo' assume mandato parlamentar na Câmara

Edmar Moreira tomou posse nesta terça (25) como deputado federal.
Ele irá ocupar vaga aberta com a renúncia de Eduardo Azeredo (PSDB).

Felipe Néri e Nathalia Passarinho
Do G1, em Brasília
Edmar Moreira (centro) é empossado na Câmara como deputado (Foto: Nathalia Passarinho / G1)
O chamado “deputado do castelo”, Edmar Moreira (PTB-MG), assumiu nesta terça-feira (25) uma vaga na Câmara. A posse do parlamentar mineiro é um desdobramento da renúncia, na última quarta (19), do deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que abriu mão do mandato por ser réu no Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão tucano.

O novo deputado federal chegou à Câmara por volta das 16h sem falar com a imprensa. Antes de fazer o juramento parlamentar no plenário, ele assinou documentos na Secretaria-Geral.

Em 2009, Moreira ganhou fama após a revelação de que ele não havia declarado à Justiça Eleitoral que era proprietário de um castelo avaliado, à época, em R$ 25 milhões, no distrito de São João Nepomuceno, na zona da mata de Minas. Moreira alega que não declarou o castelo porque teria doado a propriedade aos filhos.
Vista aérea do castelo de Edmar Moreira em Minas
(Foto: Leonaro Costa/D.A Press/Agência o Globo)
Nesta terça, ao subir à tribuna do plenário da Câmara, Moreira leu o compromisso de posse: “Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil", jurou.

Ao caminhar em direção ao plenário, ele cumprimentou servidores da Casa e foi abordado por jornalistas. Moreira, no entanto, permaneceu calado e não respondeu a qualquer pergunta. "Vocês me desculpem mas eu não vou falar nada, nada, nada", disse aos repórteres.

Suplente
A volta de Edmar Moreira à Câmara se deve aos desdobramentos da renúncia de Eduardo Azeredo. O suplente imediato da coligação que elegeu o deputado do PSDB é João Bittar (DEM-MG), mas ele, atualmente, já ocupa uma cadeira na Casa, no lugar do deputado Carlos Melles (DEM-MG), que pediu licença para comandar a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais.

Com a renúncia de Azeredo, Bittar foi oficializado na Câmara, deixando aberta uma vaga de suplente.

Diante da ausência de Melles, quem deveria assumir essa vaga seria Ruy Muniz, atual prefeito de Montes Claros. Ele, no entanto, comunicou a Câmara de que não tinha interesse de se afastar da prefeitura para assumir a vaga de deputado. O próximo na lista de suplentes da coligação (PP, PR, PPS, DEM e PSDB) era Edmar Moreira.

Troca de partido
Edmar Moreira se candidatou a deputado federal em 2010, pelo PR, mas deixou a sigla no ano passado e se filiou ao PTB, informou a assessoria da liderança do PR. Como o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de que o mandato parlamentar pertence ao partido, não ao parlamentar, o PR poderia reivindicar a cadeira.

No entanto, de acordo com o líder da sigla na Câmara, Anthony Garotinho (PR-RJ), essa possibilidade ainda não foi aventada e teria que ser discutida pela Executiva Nacional.  "É uma decisão que teria que ser tomada pela Executiva do partido. Não avaliamos isso ainda", disse Garotinho.
Fonte: G1

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Rejeição a manifestações é a maior desde junho, diz Datafolha

Índice de aprovação passou de 81% em junho de 2013 para 52%.
Levantamento ouviu 2.614 pessoas e foi publicado nesta segunda (24).

Do G1, em São Paulo

O apoio à onda de protestos iniciada em junho do ano passado no país atingiu o patamar mais baixo entre os brasileiros, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (24) pelo jornal "Folha de S. Paulo".

Segundo o levantamento, 52% dos entrevistados são favoráveis às manifestações. No final de junho, quando mais de um milhão de pessoas foram às ruas em todo o país, o índice de aprovação era de 81%. Já a rejeição aumentou de 15% para 42% no mesmo período. 

A pesquisa foi feita nos dias 19 e 20 de fevereiro e ouviu 2.614 pessoas em 161 municípios do país. A margem de erro, segundo o jornal, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Quando se trata da realização de atos durante a Copa do Mundo, a aprovação cai para 32%, e a rejeição sobe para 63%.

Entre as regiões, o menor apoio está no Nordeste, com 46%, e o maior, no Sul, com 60%. O Sudeste apresentou um índice de 55%.

A pesquisa também considera os índices a partir de sexo, idade, escolaridade e renda familiar mensal. Entre os homens, 57% aprovam os atos, contra 48% das mulheres. Além disso, 72% dos entrevistados com curso superior também apoiam os protestos, contra 37% dos que possuem apenas ensino fundamental.

Quanto à idade, a faixa etária com o maior índice de aprovação é entre 16 e 24 anos (63%), e a mais baixa, acima de 60 anos (34%). O apoio ainda é apontado como proporcional à renda dos entrevistados: 43% daqueles com até dois salários mínimos aprovam os protestos, índice que sobe para 66% entre os com mais de dez salários mínimos.

Quanto às preferências políticas, os mais favoráveis são os que pretendem votar em Eduardo Campos (PSB), atual governador de Pernambuco, e no senador Aécio Neves (PSDB). Os índices chegam a 59% e 58%, respectivamente. Já o índice entre os que preferem votar na presidente Dilma Rousseff (PT) é de 47%.

Considerando a candidatura de Marina Silva pelo PSB no lugar de Campos, 64% dos potenciais eleitores aprovam os atos.

Copa do Mundo

A pesquisa também abordou a aprovação à realização da Copa do Mundo no país. O índice de apoio, de 52%, é o menor registrado desde que a Datafolha começou a perguntar sobre o assunto, em novembro de 2008 (79%). A rejeição subiu de 10% para 38% no mesmo período. 

O apoio é mais baixo nas regiões Sul (39%) e Sudeste (44%), e mais alto na Nordeste (64%) e na Norte/Centro Oeste (68%).

Fonte: G1

sábado, 22 de fevereiro de 2014

SARGENTO DO EXÉRCITO PROTESTA CONTRA OS R$ 0,16 CENTAVOS DE AUXÍLIO FAMÍLIA

R$ 0,16 CENTAVOS É QUE AS FORÇAS ARMADAS RECEBEM, NÃO DÁ NEM PRA COMPRAR UM PALITO DE DENTE, MUITO MENOS UM SACO DE ARROZ.

O sargento do exército, Vinícius Feliciano, subiu no monumento Marechal Deodoro da Fonseca, em frente ao passeio, na avenida Beira Mar, centro do Rio de Janeiro, em protesto contra a defasagem salarial e o sucateamento das Forças Armadas, na manhã deste sábado (22). Feliciano precisará ser resgatado pelo Corpo de Bombeiros, porque só quando estava lá em cima do monumento, se deu conta de que a corda do rapel estava puída.
Foto: Marcelo Fonseca/Estadão Conteúdo/R7

O Congresso tem que rever essa miséria que as Forças Armadas recebem, enquanto tem servidores no Congresso que recebem Super Salários, os Militares atuam em todas as esferas do trabalho pra receber isso.
Att: Paulo Roberto

Maduro ameaça tirar CNN do ar por cobertura de protestos


Presidente diz que não aceitará propaganda de guerra contra a Venezuela

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ameaçou de impedir as transmissões na Venezuela do canal de notícias americano CNN, caso eles não retifiquem sua cobertura da onda de protestos que toma o país deste a semana passada.

- A programação é de guerra 24 horas por dia. Querem mostrar ao mundo que há uma guerra civil na Venezuela, mas o povo está trabalhando! Eu disse à ministra Delcy Rodríguez (ministra da Comunicação) que notifique a CNN de que começou o processo administrativo para tirá-los da Venezuela se não retificarem (sua cobertura). Vão embora da Venezuela, basta de propaganda de guerra. Não aceito propaganda de guerra contra a Venezuela - disse o presidente.

Desde que a Globovisión foi comprada por empresários simpáticos ao governo, no ano passado, NTN24 a cobertura crítica praticamente sumiu dos canais de TV no país. Na semana passada, um canal colombiano de notícias foi tirado do ar na Venezuela por transmitir os protestos.


Fonte: O Globo

Sargento FELICIANO agora em manifestação no centro do RIO de JANEIRO.

Sargento FELICIANO agora (manha de sábado, 22 de fevereiro) em manifestação no Centro do RIO de JANEIRO divide a sela com o marechal DEODORO e se expressa mais uma vez.

   O militar que pulou da Ponte Rio Niterói no ano passado mais uma vez se manifesta de forma espetacular. A ação de Vinícius Feliciano é inteiramente pacífica e espera-se que desenrole algum tipo de faixa ou que daqui ha pouco, quando a grande mídia chegar, o mesmo dê uma declaração. Feliciano ainda não divulgou o tema do protesto e usa uma camisa com a inscrição 0,16. Em livro publicado ha poucas semanas o militar havia demonstrado sua insatisfação com a situação atual do país.

       A farda do Exército dessa vez não foi usada no manifesto, ele usa a camisa com a inscrição 0.16, que foi consagrada para mostrar exatamente o contrário do texto que carrega, diz implicitamente que ha tantos motivos para o protesto que não seria possível registrá-los em uma única camisa. Não é por apenas 16 centavos, que não pagam nem uma chupeta! 

    O Sargento do exército está sobre a estátua de Deodoro, um monumento com mais de 20 metros de altura construído no centro do Rio de Janeiro, veja aos lados as primeiras fotografias.

Fonte: http://sociedademilitar.com.br

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Menor agredido e preso a um poste foi apreendido no Rio em assalto a Turistas

Prisão ocorreu após jovem assaltar uma turista canadense e um inglês.
Ele foi preso em Copacabana, Zona Sul, na terça-feira (18).

Do G1 Rio
O jovem que foi agredido e preso a um poste no Flamengo, Zona Sul do Rio, no início de fevereiro, foi apreendido na última terça-feira (18) após tentar assaltar uma turista canadense e um turista inglês, nas areias do Posto 4, em Copacabana. O caso foi registrado na Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (DEAT). De acordo com o delegado Alexandre Braga, ele foi encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (DPCA) e, depois, para uma das unidades de Reinserção Social (UMRS), o Degase.

O caso do adolescente, de 15 anos, levantou um debate acalorado no Rio de Janeiro. Ele foi preso com uma tranca de bicicleta, pelo pescoço, depois de ser agredido por um grupo de jovens - segundo ele, 30 pessoas, que chegaram ao local em motocicletas. Um dos agressores estaria com uma pistola, na versão do jovem.

O menor foi ajudado pela artista plástica Yvone Bezerra de Mello, que divulgou o caso e a foto na internet.

Na ocasião, o adolescente, que já tinha passagens na polícia por roubo e furto, foi levado com lesões corporais para o Hospital Souza Aguiar, no Centro, mas acabou fugindo da instituição. Depois, o jovem se apresentou espontaneamente a um abrigo da Prefeitura, no Centro, e também prestou depoimento à polícia.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS) informou por meio de nota que o adolescente acorrentado no bairro do Flamengo permaneceu por 11 dias na rede acolhedora do município. O jovem deu entrada na Central de Recepção Carioca espontaneamente no dia 1º de fevereiro. Ele foi encaminhado para uma casa de recuperação, onde estava sendo montado um plano de desenvolvimento individual para a reinserção social, mas deixou o local no dia 11 de fevereiro.

'Justiceiros' detidos

Também no início de fevereiro, 14 homens foram detidos no Flamengo, suspeitos de agressão a moradores de rua. O adolescente foi levado à Delegacia do Catete, para fazer um reconhecimento por meio de fotos. No entanto, segundo a delegada responsável pelo caso, Monique Vidal, o jovem não identificou seus agressores em nenhuma das imagens.

Um dos detidos contou na 9ª DP (Catete) que são feitas convocações em uma comunidade no Facebook para que sejam realizados "patrulhamentos" contra assaltos na região.

Nos dias seguintes à sessão de agressões ao adolescente, outros grupos de "justiceiros" foram flagrados atuando no Flamengo e em outros bairros da Zona Sul. Um deles chegou a ser encaminhado para a 9ª DP (Catete), mas não foi confirmado que seriam os mesmos agressores do jovem.

Número de assaltos no Flamengo


O número de roubos no bairro do Flamengo aumentou. De acordo com a polícia, de outubro de 2012 para a mesma época de 2013, o número de assalto a pedestres mais que dobrou: aumentou de 82 para 186 casos na região. O Aterro do Flamengo é um dos locais mais visados por criminosos.
Fonte: G1

Medida Provisória do MAL nº. 2215/2001


Militares das Forças Armadas pedem revogação desta MP do MAL, que tirou vários e vários benefícios das famílias militares. (Acorda Congresso, os militares também são cidadãos brasileiros).

Aguardando votação no Congresso Nacional há cerca de 13 anos, a Medida Provisória nº. 2215/2001 constituiu-se no mais duro golpe sofrido pelos militares brasileiros de que se tem notícia. Essa malfadada MP acabou, sem aviso e sem preparação alguma, com uma série de direitos a que os militares faziam jus.

Att: Paulo Roberto

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Reduzir maioridade penal resolveria?

Enquanto o Senado rejeita a proposta de diminuição da idade, sociedade e especialistas discutem o assunto. E menores seguem roubando e matando...



Fundador do WhatsApp foi rejeitado de emprego no Facebook em 2009

Brian Acton se candidatou à vaga na rede social, mas não foi chamado.
Mais de quatro anos depois, sua empresa foi vendida por US$ 16 bilhões.

Brian Acton, cofundador do aplicativo de mensagens WhatsApp, é a mais nova prova de que o mundo dá voltas. Em 2009, após deixar o Yahoo, Acton postou em seu perfil no Twitter que havia se candidatado a uma vaga de emprego no Facebook, mas que não foi chamado. Na quarta-feira (19), quatro anos depois, sua empresa foi comprada pela rede social por US$ 16 bilhões.

"O Facebook me rejeitou", disse Acton no tuíte de agosto de 2009. O WhatsApp seria fundado no mesmo ano. "Foi uma grande oportunidade de se conectar com pessoas fantásticas. Ansioso para a próxima aventura da vida".

A aquisição do WhatsApp é a maior do site de Mark Zuckerberg. O valor de US$ 16 bilhões da transação também é o mais alto já pago por um aplicativo para smartphones desde que o Facebook comprou o Instagram em 2012. Na época, a rede social desembolsou US$ 1 bilhão.

O acordo também prevê um pagamento adicional de US$ 3 bilhões aos fundadores e funcionários do WhatsApp, que poderão comprar ações restritas do Facebook dentro de quatro anos. Além disso, o presidente-executivo e cofundador do WhatsApp, Jan Koum, tomará lugar no conselho administrativo do Facebook.

Para acalmar a legião de usuários preocupados com a aquisição, Zuckerberg tratou de dizer que não pensa em mudar a fonte de receita do app "nos próximos anos". Atualmente, o WhatsApp não mostra nenhum anúncio e pode ser baixado gratuitamente em todas as plataformas. No entanto, o aplicativo passa a cobrar uma assinatura anual de US$ 1 após o primeiro ano de uso.

"Baseado em nossa experiência, acreditamos que o WhatsApp irá passar a marca de 1 bilhão de usuários nos próximos três anos", afirmou Zuckerberg durante a conferência em que comentou o negócio.
Fonte: G1