sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Diretor do Detran-DF, é flagrado cometendo infração; Silvain Fonseca se explica

Por Elton Santos
Algo curioso rodeia os lados do Detran-DF. Órgão responsável por manter a legalidade nas vias do Distrito Federal, seu diretor, Silvain Fonseca, é flagrado em pelo menos três irregularidades, passíveis de multas e até remoção de veículo. Uma delas bem grave. A imagem causou estranheza para quem viu.
Segundo uma denúncia feita ao Guardian DF, o diretor é clicado com um carro em cima da calçada, no Setor Bancário Sul. Nisto, uma pessoa comum, caso flagrado pelo Detran, além da multa, teria seu carro levado para o depósito. A infração é grave.
Mas neste mesmo clique, mais irregularidades. Silvain é visto abastecendo o carro com um galão, o que também é proibido por lei. O ato é configurado de infração média, com uma multa e remoção de veículo.
Mas o mais grave está na placa do carro, com o qual o diretor comete a infração. Na foto, aparece a placa OVN 2290 em um Gol branco. No entanto, uma checagem no portal oficial do Sinesp, que é justamente para conferir a situação do veículo, o mesmo número de placa se refere a um Nissan Tiida 2010, preto.
Assim, pelo registro, é claro o flagrante de irregularidade. Segunda a denúncia, que é anônima, o diretor do Detran utiliza a placa oficial de uma viatura descaracterizada, o Nissan, no caso, no Gol, o que representa crime previsto no Código Penal.
Pela legislação, adulterar ou remarcar número de chassi ou qualquer sinal identificador de veículo automotor, pode gerar reclusão de três a seis anos, e multa. Mas se o infrator é um servidor público, como é o caso, a situação pode ficar pior. Sua pena será aumentada em 1/3.
Outro lado
A reportagem entrou em contato com a assessoria do Detran. Silvain Fonseca explicou. Segundo ele, o veículo Gol, da primeira imagem, que é oficial e descaracterizado, teria tido problemas mecânicos. E com isso, parou…em cima da calçada. O diretor, no entanto, disse que parar ali não é ilegal. A imagem foi tirada há um ano.
Silvain Fonseca garantiu também que logo depois de tentar “ressuscitar” o carro e não conseguir chamou o guincho. Sobre o uso das placas, o diretor disse que o Gol foi desativado, e a placa teria sido colocada em outro carro.
Fonte: http://guardiandf.com.br/

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

SAI DAÍ MÁRCIA ALENCAR! Sociedade civil exige exoneração da secretária de Segurança do DF após baderna que quebrou Brasília

Para a socióloga esquerdista militante  Márcia Alencar, o tratamento de frouxidão aos baderneiros mascarados que arrebentaram com Brasília durante uma manifestação contra a PEC dos gastos, ocorrida na terça-feira passada, “foi um sucesso”. Para a sociedade civil, que ficou no prejuízo com o quebra-quebra, o governo Rollemberg foi conivente e irresponsável


Oito policiais feridos a pauladas e a pedradas, 25 carros de uma loja destruídos, monumentos públicos pinchados, ônibus incendiados, agências bancárias depredadas e bombas caseiras detonadas. Nada disse foi o suficiente para que 80 elementos mascarados, detidos e levados para uma delegacia de polícia, fossem enquadrados no artigo 20 da lei de segurança nacional.
Os mascarados contaram com o afago do governo Rollemberg e o apoio de deputados e senadores petistas, entre eles a deputada federal Erica Kokay e o deputado distrital Chico Vigilante, ambos do DF, que exerceram forte influência junto à secretária de Segurança Márcia Alencar. Os baderneiros foram liberados após terem assinado um inofensivo termo circunstanciado na delegacia de polícia.

“Lamentamos profundamente a manifestação da secretária de Segurança Pública ao afirmar que a ação da polícia foi um sucesso mesmo com oito policiais militares sangrando, vítimas das agressões sofridas pelos bandidos mascarados que foram presos e logo liberados como se destruir o patrimônio público e privado não fosse crime”, disse o presidente da Associação Comercial do Distrito Federal, Cléber Pires.

Cléber Pires disse que a falta de comando na Secretaria de Segurança Pública está estimulando uma guerra civil do povo contra o povo e que a presença do Estado é nula para conter situações como essa apesar de ser a Policia Militar uma das mais preparadas do país.
Para Cléber Pires, ninguém pode impedir qualquer tipo de manifestação popular, seja ela de cara limpa ou de cara pintada. “Quem usa cara tapada e capuz é baderneiro, é bandido e tem que ser tratado como tal”.
O dirigente da ACDF, bem como os presidentes do Sindhobar, Jael Antônio da Silva e da Abrasel, Rodrigo Freire, protocolaram um ofício nesta quarta-feira (14), no Ministério da Justiça, pedindo que seja dado auxílio às forças de Segurança do Distrito Federal. O documento aponta a “omissão da Secretaria de Segurança Pública em planejar e combater com firmeza e inteligência os atos violentos”. Pede ainda que seja disponibilizado reforço das Forças Armadas e da Força Nacional nas próximas manifestações.
Nas redes sociais, um grupo identificado como “advogadas e advogados pela democracia”, festejou a frouxidão do sistema de Segurança Pública do Distrito Federal em não ter enquadrado os baderneiros no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional. O grupo parabeniza a senadora Gleisi Hoffman e os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), Ana Perugini (PT-SC), Leonardo Monteiro (PT-MG), Padre João (PT-MG), Adelmo Leão (PT-MG), Carlos Zarattini (PT-SP), Glauber Braga (PSOL-RJ), Erika Kokay (PT-DF) e os distritais Ricardo Vale (PT) e Chico Vigilante (PT).

 Fonte:http://www.radardf.com.br/

sábado, 17 de dezembro de 2016

JUNTOS SOMAREMOS CONQUISTAS

Tenho a honra de convidar a todos, prestigiar e divulgar o trabalho do Dr Wolmer de Almeida Januário e sua equipe de Advogados aqui em Brasília-DF, juntamente com Sr Jair Presidente da Associação de Praças das Forças Armadas (APRAFA), para aqueles que precisam de ótimos advogados. JUNTOS SOMAREMOS CONQUISTAS.




segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Proposta das Forças Armadas aumenta percentual de auxílio moradia e adicionais pagos aos militares

Ao que parece, o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, não estava blefando quando anunciou a disposição do Governo Temer em rever os salários dos militares já em 2017. Durante audiência pública na Câmara dos Deputados, em 22 de novembro, o ministro lembrou que um general 4 estrelas ganha líquido R$ 15 mil, o que é bem menos que o topo de várias carreiras civis.

Proposta dos Altos Coturnos
Os Comandos das Forças Armadas estão elaborando uma proposta de Medida Provisória para encaminhar ao executivo, alterando os percentuais do Auxílio Moradia, Adicional Militar e Adicional de Habilitação dos militares.

Auxílio Moradia
Os percentuais, que incidem sobre o soldo de General de Exército, ficariam em 32% para oficiais generais; 30% para oficiais superiores; 25% para oficiais intermediários; 20% para oficiais subalternos; 15% para suboficiais e sargentos; e 10% para cabos e marinheiros.

Adicional de Habilitação
Pela proposta, passaria a ser permitida a acumulação do Adicional de Habilitação de todos os cursos, até o limite de 78%; esse percentual vigoraria a partir de 2018. Para 2017, haveria uma regra de transição, permitindo a acumulação de até três cursos, no limite de 66%.
Outra hipótese, menos provável, é de que o percentual seja majorado ainda este ano.

Adicional Militar
Os novos índices sobre o soldo dos militares seriam de 50% para oficiais generais; 40% para oficiais superiores; 38% para oficiais intermediários; 32% para oficiais subalternos; 30% para suboficiais e primeiros sargentos; 26% para os demais sargentos; e 20% para as demais praças.

MP x Decreto
A cúpula militar trabalha para que as alterações sejam implementadas por Decreto e não por Medida Provisória. As vantagens, sob a óptica castrense, seriam os efeitos financeiros imediatos; a vigência antes da PEC do Teto (PEC 241); e a menor repercussão na mídia.

Fonte: http://montedo.blogspot.com.br/